Páginas

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Uma hora da vida



Chega uma hora da vida que você começa a se questionar se tudo aquilo que você imaginou na sua infância e adolescência estão se tornando reais:

Seu emprego, suas amizades, seu curso, sua inteligência, aparência, enfim.. tudo que é relativo ao que você considera que é você. E estou exatamente passando por essa fase. Na verdade estou passando por uma fase na qual muita coisa começa a mudar na vida da gente, e como toda mudança gera uma certa insegurança, acaba que a gente fica meio confuso.


Cantor: Freddie Mercury
Passei muito tempo de minha vida tentando agradar as pessoas, tentando não me posicionar firme sobre quase nada, como diz o Freddie Mercury: "Sat on a fence, but it doesn't work", ou seja, você senta no muro, mas não funciona... A gente tem que escolher um lado, inclusive quando se trata de amizade, pois você pode até conhecer milhões de pessoas, mas se você não tiver aquelas das quais você sempre está por perto, seja pra conversar ou se divertir, que faz parte do seu pequeno grupo de amizades íntimas, você nunca irá conhecer alguém de verdade, você será apenas um amigo superficial para todos, o chamado "brother" da galera. E engraçado que eu tenho o grande problema no qual eu me exponho pra qualquer pessoa que conheço a pouco tempo, como se eu realmente pudesse confiar nelas, e eu não me contento em me expor apenas para duas ou três, o que provoca uma imagem de insegurança sobre mim, e é verdade, e como eu me preocupo DEMAIS com o que as pessoas pensam ou podem pensar de mim, acabo não pensando no meu bem estar.

Cada um possui uma forma de agir na vida: uns se expõem, outros se fecham; uns ficam em cima do muro, outros partem pro radicalismo. Na verdade, deve SIM haver o equilíbrio, mas existe uma discrepância enorme entre possuir equilíbrio e ficar em cima do muro: Possuir equilíbrio é ter uma base na qual você possa se segurar sempre que precisar, algo que fundamente suas ideias e objetivos, é como uma main line. Você não precisa mudar seu jeito se você não se sente bem com isso, se aquilo vai lhe trazer infelicidade, vazio, mas também não quer dizer que você vai ligar o "foda-se" e mandar todo mundo à merda, pra viver na sua ilha do egoísmo, pois isso é falta de equilíbrio; você tem que medir o que é realmente importante pra você e o que não é; aquilo que for importante você não precisa mudar por ninguém. Agora.. ficar em cima do muro é você não ter opinião própria, é você nem sequer saber o que ou quem é importante pra você, é você não ter uma base, um abrigo, pois seu único objetivo é ser bem visto por tudo e por todos!

Filme: "Into The Wild"
A mudança tem que vir de dentro pra fora, SEMPRE! Digo.. MESMO! Quando essas coisas acontecem, a gente tem que começar a se questionar e estabelecer um tipo de limite. Acho que só assim a gente começa a ganhar confiança em nós mesmos. Não adianta ver a vida passar e não ter controle sobre nada. Tem que tomar a PORRA das rédeas! Se não você irá, um dia, começar a perceber um sinal muito profundo em si mesmo, que eu já estou começando a perceber a algum tempo: no começo parece bobagem, você simplesmente ignora, toda vez que olha no espelho e olha em seus olhos; depois de um tempo, aquilo começa a afetar seu sorriso e você não consegue mais sorrir de verdade como antigamente; anos depois, seu comportamento muda, parece que você está o tempo todo pronto pra uma briga, um ataque, ou como se seus amigos fossem te abandonar do nada, sem mais nem menos; no fim, você não sabe mais quem é você e começa a se perguntar se ainda dá tempo de consertar a sua vida.

Outro grande problema disso tudo é pensar demais em coisas que são tão simples, colocar tempestade em copo d'água e muitas vezes acabar invertendo os valores. Problema é quando você tem 5 filhos pra criar, ganha menos de 500 reais, nunca teve acesso à educação, à saúde e seu filho de 7 meses está doente e você não pode fazer nada. Problema é quando você tem 4 anos e vê seu pai espancando sua mãe toda vez que ele chega bêbado em casa. Esses sim são problemas, o resto é besteira, passa batido. O que você vai falar, o que você vai vestir, quem gostou ou não de você, o que pensaram de você ter dito "e ai?" ao invés de "boa tarde" pffff pra quê dar importância à essas coisas? Sei que são exemplos, mas é fácil de entender, isso eu tenho certeza que todo mundo se identifica de alguma forma. A gente ouve tanto que devemos pensar no próximo, que devemos ouvir os outros, nos comportar bem para não causar má impressão, nos vestir bem, ter dinheiro e tanta coisa... Que a gente esquece de pensar EM NÓS MESMOS! Porra! Já chega né? Principalmente aqui no Brasil, as pessoas têm uma auto-estima MUUUUUITO baixa!! A gente acha natural ser rejeitado, traído, não ser reconhecido, ser mal tratado, ser um zero à esquerda, enfim!


Por isso, meu amigo Away tem algo a dizer a vocês:





Nenhum comentário:

Postar um comentário